Pesquisar este blog

Relógio

Vejam em outras línguas

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish
 

Páginas

20 de fev de 2012

Entrevista Mario Pastore

O caminho de chegar ao auge na carreira de musical é realmente uma batalha. Mario Pastore teve dificuldades e barreiras até ser respeitado na nossa religião chamada “Heavy Metal’’...Titânio, Acid Storm (precursores do Metal progressivo brasileiro), Opera’s Noise, Tailgunners, Sacred Sinner, vinhetas de abertura do Projeto Hamlet (coletânea com várias bandas brasileiras), Delpht (grande banda de Metal melódico) e Soulspell são algumas bandas/projetos que esse cara já participou. Com a voz que me fez arrepiar no show do MindFlow, cantando o clássico do Sir Bruce Dickson Tears of the Dragon. Mario Pastore hoje vai conversar com o Portal do Inferno e falar um pouco da banda Pastore, e de suas experiências nesse universo.
Portal do Inferno: Primeiramente, obrigado por aceitar esse convite, e espero que retorne sempre que puder. Como foi o caminho percorrido pra você ser um dos vocalistas mais reconhecidos do nosso Metal?
Mario Pastore: Eu que agradeço o convite do Portal do Inferno. O caminho foi longo, comecei pelos idos de 87, em uma banda de som próprio em português e covers de metal como Manowar e Anthrax e Metallica. Passei por algumas bandas, sem muita expressão, até que em 90 entrei no Acid Storm, e não parei mais. (risos)

P.I.: Falando um pouco da Pastore. Você mesmo compõe as letras, ou você divide com seus companheiros de banda a autoria das músicas?
Mario: No primeiro CD, eu e o Raphael Gazal compusemos juntos, nesse segundo CD o Aléxis Gallucci também compôs com a gente e até um aluno meu colaborou nas letras do The End Of Our Flames.

P.I.: The Price For The Human Sins, é um ótimo CD, me conte quais foram as influências desse ótimo trabalho?
Mario: As inflluências do nosso primeiro CD foram o metal tradicional, como também no segundo que irá ser lançado esse ano:Iron Maiden, Judas Priest, Dio, Qüeensryche e Bruce Dickinson solo.

P.I.: Você conseguiu ir ao show do Judas Priest? Como foi a sensação de ver esses gigantes do Metal, se despedir num momento, onde que o Rock está carente, mas ao mesmo tempo parecendo uma fênix, nascendo bandas ótimas. Você nos mostra como cantar é maravilhoso.
Mario: Sim ,eu fui. A sensação de vê-los é muito gratificante. Eles deixaram essa grande escola e legado na música pesada.

P.I.: Qual é o frontman que você se inspira?
Mario: Eu me inspiro no Halford, Bruce, Dio, Geof Tate, Michael Kiske, Glen Hughes e Coverdale.

P.I.: Quando ouvi você cantando no Manifesto Rock Bar, com o Mindflow, me impressionei bastante. MindFlow é uma das promessas nesse meio, ou já é realidade na sua opinião?
Mario: Obrigado Hildeni. Eu sou suspeito pra falar do Mindflow, pois o Danilo foi meu aluno durante um bom tempo e é meu amigo, e um dos melhores alunos que já tive. A banda, na minha opinião, ja é realidade desde que nasceu. MindFlow possue grandes músicos e grandes músicas.



Quer ver mais? http://www.portaldoinferno.com.br/entrevistas/2286-pastore-mario-pastore.html

Entrevista Phornax


A procura por bandas nacionais, do nosso grande estilo, encontro Phornax, uma que merece destaque. Sabemos que é uma grande dificuldade achar bandas decentes, porque a mídia não ajuda, mas a internet, cada vez mais, é aliada dessa causa. Korzus, Sepultura, Angra, MindFlow, são bandas que já têm um certo espaço, mas temos que mostrar outros grupos que a cada dia evoluem. E hoje, estamos com o Thiago Prandini, guitarrista,compositor e produtor da banda Phornax, do Rio Grande do Sul, que vai falar um pouco de sua banda e sua influência no mundo.


Portal do Inferno: Primeiramente seja bem-vindo ao Portal do Inferno, e como está a divulgação do EP Silent War?
Thiago Prandini: Primeiramente bom dia, é uma grande satisfação realizar essa entrevista com o Portal do Inferno! Bom, sobre a divulgação do EP, ele era para ter saído em abril, mas por uma série de problemas de logística, só começou a ser vendido em dezembro de 2011! Duas das cinco faixas que compõem o EP Silent War estão para audição no Youtube. Quem quiser adquirir o EP só tem que enviar e-mail para contato@phornax.com.br , thiago@phornax.com.br , cristiano@phornax.com.br ou entrar no site da banda www.phornax.com.br e clicar no link do anúncio do Silent War. Qualquer um desses procedimentos leva à aquisição do EP, que custa somente R$10!

P.I.: Silent War e Dare of Destruction foram as duas músicas lançadas para o público, aliás, são muitas boas. Mas as outras músicas falam sobre o que?
Thiago: Cara, todas as músicas falam sobre um tema específico, o EP, de certa forma, foi composto de forma conceitual. O tema principal é o Apocalipse, tratamos de criar letras que falassem de uma forma abstrata e de livre interpretação por parte do ouvinte. Pegamos temas do cotidiano e da luta entre o Bem e o Mal e criamos as músicas. Além da Silent War e da Dare of Destruction, ainda temos a Ghosts from the Past, que nos dá uma ideia de traumas passados que ainda atormentam, e a Final Beat, que seria a etapa final dessa batalha.

P.I.: Realmente o mundo passa por essas teorias de conspirações e apocalipses desde o começo de 2000. A banda se inspira muitos nesses temas polêmicos? E quais são as outras influências de vocês?
Thiago: O EP teve sim influência desse tema por justamente estar tão presente nos últimos anos, quisemos dar a nossa versão dessa falácia toda que está por aí. Desde que sou criança tentam destruir o mundo de alguma forma, mas esse mundo materialista só acaba para quem morre, a vida segue! A intenção para nossos próximos trabalhos não é fazer mais nada em relação a este tema, visto que figurinha repetida não completa a coleção, né? Creio que a música é um instrumento muito rico culturalmente, e não devemos desperdiçar a chance de pelo menos tentar passar uma mensagem legal para o ouvinte. Queremos fazer o contrário de algumas pessoas que se julgam artistas, que atingem a massa da população com letras fúteis, transformando o bom cidadão em cabeça de vento, as adolescentes em projetos de vagabundas e coisas desse tipo; desculpem-me se me excedi!

P.I.: Relaxa, às vezes a verdade tem que ser dita, hoje em dia é difícil ver bandas mostrarem sua opiniões sobre temas que muitos têm medo de falar. Vocês recebem criticas positivas ou negativas sobre o que vocês falam?
Thiago: Para ser sincero, não faço ideia do que as outras pessoas acham das nossas letras (risos), Mas nunca ouvi (nem vi) ninguém falando mal.



Quer ver mais? http://www.portaldoinferno.com.br/entrevistas/2110-phornax-thiago-prandini.html

Explicação sobre minha ausência

Meus amigos rockers, mil desculpas por não esclarecer o meu sumiço. Estou agora no projeto pararelo, estou num site de meu amigo Fernando Custódio, que é dono do Portal do Inferno. No começo era pra ser só uma parceria, para beneficios de ambos os lados, mas ele me convidou para participar. E nela fiz duas entrevistas. Uma com Mario Pastore da banda Pastore e Thiago Prandini da banda Phornax. Nisso tudo meu tempo nesse blog, tá está muito arriscado. Mas quero que vocês, que sempre acompanhou meu trabalho, vejam agora eu no Portal do Inferno. Nisso tudo deixo a seguir um pouco dessas duas entrevistas massas que tive com esses gênios.
Logo mais faço um post só pra o MACDNO.
http://www.portaldoinferno.com.br/